Logo
LogoInícioPor profissionaisQuem é Wefight ?
Brasil
Português
Ver todos os artigos

6 dicas para quem quer parar de fumar

ACONSELHAMENTO

Por: Vik

Há 3 meses

Parar de fumar é difícil e, ao contrário do que pensamos, força de vontade não basta. Fumar é um verdadeiro vício que envolve perder o controle sobre seu consumo. Se você tem alguém próximo de você que usa tabaco e está preocupado com ele, pergunte a si mesmo como pode ajudá-lo. Para ajudar neste assunto, encontrei-me com o Dr. Petit, clínico geral do Hospital Universitário de Dijon e especialista em vícios, que compartilha suas seis dicas para ajudar alguém a se livrar do tabaco. 


1. Seja um bom ouvinte, mantenha a mente aberta e demonstre empatia

A melhor maneira de ajudar seu amigo ou membro da família a parar de fumar é manter a mente aberta. Isso significa aceitar sem julgar o que a outra pessoa lhe diz. O vício é difícil de entender quando não foi experimentado. Ser "viciado" é perder o controle. Para ajudar, você pode tentar entender o que se passa na cabeça dessa pessoa. Você pode estar objetivamente interessado no que ela lhe diz. Para ter certeza de que você entendeu, você pode reformulá-lo: isso se chama "refletir", dizer o que você entendeu e reajustá-lo. Forçar-se a reformular é uma boa maneira de entender o que aquela pessoa no ambiente pensa. Você só precisa ser gentil e demonstrar empatia.


2. Substitua o tabaco por um hábito saudável 

Soluções baseadas em hábitos de vida saudáveis ​​são um primeiro passo. Algumas psicoterapias propõem parar de fumar diretamente, mas isso pode levar mais tempo. Não existe receita milagrosa para substituir gradualmente o tabaco, é preciso encontrar um elemento que dê prazer sem lembrar a nicotina. Um especialista em vícios pode ajudar nesta fase.

Você pode imaginar todos os tipos de atividades, desde que sejam saudáveis: tricotar, passear com o cachorro, beber água, trabalhar, fazer exercícios... nada chama a atenção suficiente.

Esta técnica é eficaz, mas nem sempre durável. A dependência do tabaco é altamente comportamental. Você não pode esquecer um hábito, mas pode criar um hábito que o quebra. Como amigo ou familiar, você pode ser proativo, mas sem forçar a outra pessoa. Se você espera tudo dela imediatamente, pode ser bloqueado. Se essa pessoa decidir ir embora, você pode acompanhá-la, ouvir suas ideias ou preocupações e estar disponível para ajudar a colocá-las em prática.


3. Cozinhe refeições balanceadas

Outra boa ideia para substituir o tabagismo por um bom hábito é cozinhar refeições equilibradas em conjunto. Muitas pessoas têm medo de ganhar peso. É um mecanismo do organismo: a destruição das substâncias do tabaco consome energia. Além disso, a falta de tabaco estimula o apetite. Portanto, esta é uma boa oportunidade para revisar as diretrizes alimentares e você pode ajudar oferecendo seu tempo para cozinhar com essa pessoa. Mais uma vez, o importante é curtirmos juntos.

4. Recompense um momento especial, um projeto conjunto 

Premiar a redução do consumo de tabaco e sua cessação é positivo, mas deve-se tomar cuidado para que não seja estranho ou tóxico.

Em geral, a recompensa financeira é uma boa alavanca. Calcular o dinheiro que você economizou ao desistir dá uma ideia de quanto dinheiro você tem disponível. Com este orçamento é possível realizar atividades específicas. Todas as semanas, ou por cada cem reais poupados, pode mimar-se com uma sessão de spa, por exemplo, ou um bom jantar num restaurante. Você também pode imaginar alguns dias de férias ou qualquer outro projeto que combine com você igualmente.

Outra estratégia útil é pensar no tempo que você economiza ao parar de fumar, já que consumir um cigarro na mão leva entre cinco e dez minutos de cada vez. No final, todo esse tempo pode ser investido em nadar ou fazer qualquer outra atividade. E é aí que você entra sugerindo e participando dessas ideias.

É importante evitar que o relacionamento se torne um relacionamento parental, onde um premia o outro como um pai recompensaria um filho. Para isso, é aconselhável propor as atividades, mas sem forçá-las, evitando banalizar ou demonizar o tabaco, mas também não ficar indiferente. Trata-se de andar na corda bamba do equilíbrio sem optar definitivamente por um lado. Acompanhe, mas sem criticar. Empatia, mas sem naturalizar o uso do tabaco.

5. Saiba que cada passo que você dá é uma vitória em si 

No caminho para parar de fumar, a única coisa certa é que você nunca pode ter certeza. Às vezes, as recaídas ocorrem vinte anos depois, e outras vezes a primeira tentativa é bem-sucedida.

Há marcos a alcançar e etapas que nos permitem ver o progresso. Por exemplo, sabemos que após trinta dias de parar de fumar, as chances de parar completamente aumentam cinco vezes. Trinta dias é um ótimo primeiro passo a ter em mente.

Se a pessoa que fuma usa um tratamento como adesivos, você deve saber que as doses de nicotina diminuirão com o tempo. Portanto, cada redução de dose é uma conquista em si a ser saboreada.

Existem três etapas principais a serem lembradas no processo de parar de fumar:

  • Primeira etapa: "Eu parei de fumar, mas quando vejo alguém fumando eu quero." É normal, o cérebro ainda está acostumado e quer.
  • Segunda etapa: "O cheiro é repulsivo, não sinto vontade, mas o detecto rapidamente." O corpo rejeita a substância, mas a reconhece facilmente.
  • Terceira etapa: "O tabaco é indiferente para mim." Uma grande página é virada quando este estágio é alcançado.

6. Evitar forçar, culpar o dramatizar

A comunicação é a chave para ajudar essa pessoa a parar de fumar. Isso significa que, além das coisas que você pode fazer, há alguns comportamentos que você deve evitar:

  • Não julgue nem se sinta culpado.
  • Esteja disposto a ajudar, mas sem forçar
  • Evite um tom passivo-agressivo.

Para ajudar melhor, você pode aprender como os vícios funcionam e entender melhor o que está acontecendo com essa pessoa.

É fácil acreditar que a pessoa pode desistir a qualquer momento, mas entender como os vícios funcionam significa entender que você está perdendo o controle do seu uso. Para obter as melhores informações, você pode usar aplicativos móveis que podem ajudá-lo a parar de fumar ou verificar vídeos no YouTube para interromper essa prática. Você também pode pesquisar os sites de organizações oficiais ou centros de atenção e prevenção de dependências.

Você também pode me fazer todas as suas perguntas no aplicativo Vik!

Espero ter ajudado.

Com todo meu amor, Vik.

Todos os artigos

ACONSELHAMENTO

Como controlar a fadiga através da atividade física?

A fadiga é o sintoma mais comum experimentado pelos pacientes. Felizmente, existem soluções para melhor conviver com ela, nomeadamente a prática regular de uma atividade física adequada.

ACONSELHAMENTO

5 coisas que você não sabia sobre o Vik!

Vik répond à tes questions sur ta pathologie 24h/7j grâce à l'intelligence artificielle

Você sabia que o Vik é uma inteligência artificial que funciona por meio de profissionais de saúde e pacientes?

ACONSELHAMENTO

“Você olhou para mim, eu não pareço nada com essa doença”

As patologias crônicas em alguns casos têm repercussões físicas mais ou menos visíveis. Elas também podem impactar a autoimagem e a forma como o paciente se vê.

ACONSELHAMENTO

4 dicas para controlar seu peso com uma doença crônica

Certas doenças têm uma grande influência no ganho ou perda de peso. Então, para gerenciar melhor seu peso com sua doença crônica, aqui estão minhas 4 dicas!

ACONSELHAMENTO

Cultive o relacionamento com seu médico

O anúncio do seu diagnóstico é um momento entre você e seu médico, o nascimento de um novo relacionamento. Estabelece-se uma relação de ajuda mútua para a realização do cuidado que você precisa.

ACONSELHAMENTO

Como se preparar para uma viagem tendo uma doença?

Se estou doente ou saudável, viajar sempre foi minha prioridade. Vivendo com eczema (e asma), deixei um pouco “da minha pele” em diferentes lugares: Sicília, Malta, Costa Rica, Espanha, Holanda.