logo

Ver todos os artigos

Como se preparar para uma viagem tendo uma doença?

ACONSELHAMENTO

Camille Vorain, paciente e treinador de saúde

Por: Camille Vorain, paciente e treinador de saúde

Publicado il y a 13 dias

Se estou doente ou saudável, viajar sempre foi minha prioridade. Vivendo com eczema (e asma), deixei um pouco “da minha pele” em diferentes lugares: Sicília, Malta, Costa Rica, Espanha, Holanda.

Tive que adaptar algumas viagens, encurtar outras, mas nunca desisti de viajar. Mas como viajar quando a doença é nosso primeiro hóspede?

Já tinha falado sobre Marine Barnérias, que explorou vários países para entender melhor quem era e aprender a conviver com sua doença, a Esclerose Múltipla.

Não é para todos, no entanto, fazer uma viagem no estilo 'mochilão'. Então, como você sabe qual tamanho e tipo de viagem é ideal para você?

O objetivo é vivenciar um momento de alegria, descoberta e minimizar o estresse. Portanto, é importante escolher sua viagem de acordo com critérios que são decisivos para nós.

 

1 - Ambiente e clima: Em que ambiente e clima temos sintomas mais amenos?

Por exemplo, eu sei que estar perto do oceano e em um clima ensolarado e seco é bom para minha pele e meus pulmões. Então esses são meus destinos favoritos! Da mesma forma, para mim é imperativo evitar ácaros ou ambientes úmidos, por isso a escolha do local de alojamento é importante e sempre a antecipo.

 

2- Acessibilidade aos cuidados: Necessita de uma farmácia ou hospitais, acesso a um médico de urgência à distância ou presencial?

Dependendo, peça ao seu médico prescrições com o nome e composição química do medicamento. Antecipe um kit de farmácia e discuta sua viagem com seu médico para levar em consideração todos os fatores.

3- Alimentação: Qual o impacto da alimentação na sua saúde?

Hoje, a alimentação “saudável” está se tornando mais democrática e em cada vez mais países podemos encontrar opções sem glúten, vegetarianas ou veganas. Isso torna a viagem muito mais fácil para pessoas com restrições alimentares. Alugar um apartamento por meio de aplicativos também pode ser uma solução para você mesmo(a) poder cozinhar e satisfazer as suas necessidades. 

4- Acesso a equipamentos de higiene: Quais equipamentos tornarão sua viagem menos estressante?

Por exemplo, se você tiver problemas digestivos, visitar cidades com muitas comodidades próximas pode tornar a viagem menos estressante. Para mim, que tenho muitos tratamentos para aplicar na pele, e cujo sono pode ser inquieto (coceira, etc.), priorizo ​​um quarto e um banheiro privativo. Este é o preço a pagar por mais tranquilidade.

5- Gerenciando suas crises: Sou capaz de antecipar e gerenciar minhas crises ou sintomas?

Para alguns, planejar uma viagem é impensável porque os sintomas são imprevisíveis. Nesse caso, você pode considerar aventuras de última hora tendo, em um número razoável de quilômetros, maneiras de você ser atendido(a) rapidamente, se necessário. 

Ao fazer um balanço desses diferentes aspectos, você poderá projetar a viagem que lhe trará mais segurança e conforto. No entanto, isso não exclui a possibilidade de vivenciar um pouco de aventura.

Se viajar no estilo “mochilão” gera muita instabilidade em termos de alimentação e hospedagem, você pode imaginar ir de motorhome, trens ou até mesmo cruzeiro!

O orçamento infelizmente é afetado geralmente, mas as memórias e seu conforto estarão à altura.

Por fim, se você tem medo de planejar, pode antecipar um lugar e deixar espaço para a espontaneidade para respeitar suas necessidades e seu ritmo em relação à programação da sua viagem. Viajar é uma oportunidade para se sentir vivo(a) e relembrar a magia da vida. Você também tem o direito de viver belas experiências e saborear as alegrias da vida, mesmo que tenha que adaptá-las. Estou ansiosa para ler suas histórias de viagem nas redes.

E como diria Bruno Maltor, um influenciador digital de viagens “...e acima de tudo, não se esqueça de viajar!” 

Camille Vorain, Paciente Especialista.

share